Políticos de esquerda e mulheres ligadas ao movimento feminista se recusam a emitir críticas contra o apedrejamento de mulheres acusadas de adultério em países islâmicos. Mas, afinal, o que passa na cabeça dessas pessoas. Caio Coppolla explica: