Toda vez que escutamos histórias ocorridas em períodos de grande terror, como nazismo, fascismo ou comunismo, fazemos a mesma pergunta: como foi possível que as pessoas apoiassem as atitudes destes genocidas?

Como foi possível uma população ter permitido que um governante acumulasse tal poder de impor sofrimento a outras pessoas? Hoje, a resposta está diante dos nossos olhos: aqueles governantes adquiriram tais poderes graças ao medo de uma ameaça “gigantesca”. Confira o vídeo da Fox News e continue lendo o texto mais abaixo:

Hoje, a ameaça se dá por meio de um vírus invisível, “onipresente e cruel”, obrigando a população a abdicar de todos os seus direitos, em troca da promessa de segurança. A fila de candidatos à escravidão voluntária, curiosamente, é encabeçada por aqueles que tanto gritaram, até semanas atrás, sobre como deveríamos “lutar pela garantia dos nossos direitos”.

Aliás, estes também são os maiores entusiastas do novo modelo, atacando quem ousar questioná-lo. Nos resta perguntar: o que faria um líder político, tendo recém-experimentado tal nível de poder — incluindo o poder de afastar qualquer indivíduo capaz de fiscalizar as suas ações? Não duvide, nem por um segundo, que a sua estratégia será a de prolongar e estender o medo sobre as pessoas. Afinal, a sorte deu a ele um ingresso para a Disneylandia da corrupção, do roubo, e do poder absoluto e jamais ele desperdiçará esta chance. O episódio do coronavirus ficará marcado como mais uma época na qual escancarou-se a capacidade do ser humano de ser feito de idiota.

Apoie os tradudores >>

Deixe seu comentário: