Filmes nem sempre foram superproduções Hollywoodianas regadas de altos investimentos, computação gráfica e vários efeitos especiais. Em uma época onde filmes de super heróis, com conteúdo vago e abundante cenas de ação e pseudo-comédia, são a febre do momento, a indústria cinematográfica parece clamar pela volta de um período de ouro, onde grandes produções artísticas eram feitas.

No estudo de filmes, um filme amador é examinado em termos de sua história, tecnologia e estética. Já os estudiosos sociais consideram a produção de filmes como uma prática social, agindo como uma forma de comunicação visual relacionada à cultura daqueles que consomem este tipo de filme e do uso de tecnologias amadoras. Filmes amadores podem ser vistos também como um conjunto de práticas não profissionais, pessoas ou de produção de filmes por hobby, geralmente gravando atividades familiares e de lazer, mas também incluindo notícias locais, produções de drama e filmes de diversos tipos.

A classificação de cinema amador não é consolidada por associações monetárias, burocráticas e artísticas. Definir uma produção de filme amadora é complexo no sentido que a identificação de suas facetas é paralela, muito diversa e divergente em alguns casos. Isto torna o cinema amador puro e uma verdadeira retratação da visão humana perante um acontecimento. Vamos elencar alguns pontos sobre filmes amadores.

Importância do cinema amador
O cinema amador é um tipo de negócio que se expande em forma de exportações públicas, entregando um teor abundante de “inventividade”. Empreendimentos como os do cinema amador desenvolvem a capacidade de atrelar-se à necessidades intuitivas, ou seja, ela regula o cinema em vez de simplesmente formulá-lo.

Desta forma, o potencial das produções amadoras está limitada por conta dos altos preços dos equipamentos cinematográficos que, mesmo com uma certa popularização atual de recursos visuais, como câmeras e filmadoras em smartphones, por exemplo, atinge a minoria dos campos de cinematografia.

Aceitação de filmes amadores
Filmes amadores pertecem a um gênero que se desenrolou com a ascenção da primeira
animação cinematográfica feita em todos os tempos. Geralmente as produções amadoras são vistas como insignificantes e defeituosas, mas talvez seja por desconhecimento de quais filmes são considerados amadores ou por conta do pouquíssimo número de filmes amadores que fascinaram entusiastas e apreciadores de filmes globalmente. Apesar de toda as concepções negativas feitas por críticos e entusiastas de cinemas, os filmes amadores ainda têm um espaços nas salas-de-estar de diversas moradias. Um bom exemplo disto é o filme de 1999 chamado “A Bruxa de Blair”. Este filme foi criticamente aclamado e é um dos mais populares do gênero amador, tendo recebido elogios por críticos internacionais e amantes de filmes.

Determinar o propósito por detrás da produção de um filme pode ser algo um tanto quanto complicado. Em filmes comerciais, o principal objetivo, obviamente, é produzir lucro, além do entretenimento. Por outro lado, filmes amadores procuram retratar diversas situações existentes no dia-a-dia, como cobertura de notícias, documentários ou momentos de lazer dando, em alguns casos, um teor mais artístico, sem se preocupar, necessariamente, em entreter ou lucrar, mas, sim, retratar estas diversas situações.

 

.